Arquivos da categoria: Colunas

Você tem Fome Realmente de Quê?

Você tem fome de quê (2)

Quer uma barra de chocolate ou na verdade um abraço? É bom saber diferenciar se essa fome é para alimentar o corpo ou satisfazer apenas uma necessidade emocional mais profunda.

Muitas vezes acabamos de fazer uma refeição e em menos de 1h já temos uma sensação de fome. Já ouvi muito isso de meus pacientes. Aí eu pergunto para eles: Mas você prestou atenção na refeição? Não tinha muito papo durante o almoço ou a TV não estava ligada? E alguns me responderam que não. Então posso até pensar que seja gerada pela ansiedade que muitos de nós sofremos com essa vontade de comer, mesmo depois de ter acabado de comer.

Então, veja se você identifica qual é a fome que aparece:

A FOME FÍSICA…
* Aumenta os poucos;
* Acontece abaixo do pescoço (barriga ronca);
* Ocorre mais ou menos umas três horas depois de uma refeição;
* Pode ser temporariamente disfarçada bebendo-se água;
* Desaparece quando estamos satisfeitos;
* É saciada depois que se ingere comida.

A FOME EMOCIONAL…
* Aparece de repente;
* Acontece acima do pescoço (“vontade de tomar sorvete”, “vontade de comer um doce” – muitas vezes vem à cabeça);
* Ocorre em horas aleatórias;
* Ainda persiste depois de beber um copo de água;
* Leva à culpa depois que se come.

Eu sempre digo: o prazer em devorar uma barra de chocolate é instantâneo. Passa muito rápido e depois vem a culpa e as consequências. O prazer em saborear apenas um pedaço de chocolate é único, é treino, é reeducação alimentar, é consertar o que aprendemos erroneamente que é saciar as frustrações, os problemas emocionais com comida.

Então é hora de você tentar parar pra pensar. Não vamos morrer por não ceder ao chocolate, vamos sim é nos provar que conseguimos, saindo vitoriosos e mais saudáveis!

Na próxima vez que você sentir uma fome repentina, fora de hora, abrace seu amigo(a), namorada(o), seu amor e fique assim, por alguns minutos. Você vai ver que acalma, nutri a alma. Converse com um amigo, fuja desse gatilho, mude o hábito. Experimente!

Um beijo e até a próxima!

Luciana de Oliveira Collares Machado é nutricionista pós-graduada em Nutrição Clínica e Dietoterapia. É amante da gastronomia saudável e sócia-proprietária da Equilíbrio & Sabor Culinária Light.
Conheça-a: http://lucianadeoliveiramachado.com.br/luciana-de-oliveira-machado/

Carta de um Metabolismo Cansado

Compartilho com vocês esse texto que adorei! Um beijo, Nutriluoliveira.carta de um metabolismo cansado

Querido humano, eu sei que você anda desapontado comigo. Sei que nos últimos tempos você me esconde embaixo de roupas largas e evita praia. Você me exige uma energia que não tenho. Suas bolachas recheadas e refrigerantes não me dão o suporte necessário.

Fico sobrecarregado e infelizmente, me vejo obrigado a estocar energia em forma de gordura. Eu sei que você se envergonha do seu estoque de energia, mas o que você me pede, não posso lhe oferecer. Estou fraco! Não descanso e sabe-se se lá quando foi meu ultimo sono reparador. Quando acordo, você não me alimenta e quando me alimenta, não é com qualidade.

Estou estressado e próximo de um colapso nervoso. Sei que você espera mais de mim, mas tenho que ser sincero, também esperava mais de você. Você me pede foco, energia e menos gordura. Eu lhe peço nutrientes, hidratação e descanso. E assim como você, estou a ver navios.

Você se chateia com o intestino preso, mas querida, não estou em condições de abrir mão de nada agora. Não me peça para lembrar de algo. Meu estoque de antioxidantes está baixo, minhas membranas celulares sem flexibilidade e a gordura ruim que você consome, acaba comigo! Já não consigo transportar bem o açúcar que você ingere e contra minha vontade, tive que chamar minha amiga insulina com mais frequência. Se você está tonta e com dor de cabeça, a culpe.

E você bem sabe o quanto ela é difícil, sempre que ela aparece de forma desordenada sou obrigado a estocar ainda mais gordura. Desista dos cremes e das massagens, meu amor. Já não respondo aos estímulos externos. Estou tão nervoso que pedi conselhos ao cortisol. Ele me aconselhou a reter o máximo de líquido que puder para me proteger e sempre que possível, me livrar do peso desnecessário dos músculos. Bem, músculos são pesados e eu já não tenho capacidade de carrega-los por aí. Optei pela gordura meu bem, me desculpe.

Com a escassez de nutrientes tive que fazer escolhas drásticas. Não estou mais nutrindo sua pele e cabelo, logo, você os verá ir embora. Estou tão nervoso que cápsulas e suplementos não são absorvidos. Estou bravo com você e agora, não quero mais papo. Estou lhe escrevendo essa carta como um adeus.
Estou me desligando e logo, a falta de ar será evidente.
Quanto mais adoeço, mais você me agride com fármacos e eu, sinceramente não entendo porque me tratar assim. Até parece que quer me ver sofrer. Como se não bastasse todos os anos de descaso, agora grita aos sete ventos que sou lento, que seu metabolismo é lento. Dói! Eu nasci sim com algumas imperfeições, mas imaginava que você, com inteligência de humana, soubesse zelar pelo seu corpo. Me enganei! Você não prestou atenção aos sinais e abusou de mim. Agora que desabafei lhe pergunto, quando me cansar e for embora, onde você irá morar?
Autora: Hellen Campos.

Na Era do Nutricionismo – Nutricionista Luciana de Oliveira Collares Machado @nutriluoliveira

IMG_7874
Quem já ouviu falar em Michael Pollan, sabe o motivo do título do tema de hoje. Adoro ele, e sua última série COOKED está muito boa.
Existe uma onda, neura, overdose de informação sobre alimentação saudável que só serve para confundir as pessoas e levá-las a cometerem verdadeiras loucuras em busca da fórmula mágica. É blogueira sem formação técnica, é educador físico prescrevendo dieta, sendo antiético pedindo até para nutricionista se responsabilizar, porque o conselho de nutrição caiu em cima; é a vizinha dando receita de bolo Fit, o colega da academia indicando suplemento, todos manjam sobre alimentação saudável e tem uma receita FIT na ponta da língua para quem quiser se arriscar, prescrição para tudo. E mais, tem muito profissional da área da nutrição fazendo o mesmo, dando foco maior ao nutriente, à sua SELFIE do que o alimento, o preparo, do que comer com prazer, cheio de sabor, do que realmente ajudar as pessoas a corrigirem hábitos alimentares totalmente errados.
Porque não simplificamos um pouco, gente? Comer comida saudável e gostosa já é meio caminho andado, adicionar temperos, ervas, oleaginosas, tudo bem, estão dentro da orientação nutricional para “variar” os alimentos, cores, não comer sempre os mesmos alimentos, optar por orgânicos? Ótima escolha…até aí, tudo bem…agora modismos? Estes estão aí sempre, e a cada dia virá uma capa de revista com uma notícia quentíssima aclamando a castanha fulana de tal, o óleo do não sei o quê…existem estudos, pesquisas, mas a ciência demora muito para comprovar os efeitos benéficos.
Eu amo saber sobre os alimentos, estudá-los, mas tudo tem que ter uma fonte segura, científica… pois do lançamento da novidade até que seja real, comprovada, tem um longo caminho a ser percorrido.
A impressão que tenho é que existe um clima de terrorismo sobre alimentação, as pessoas desaprenderam a comer, não sabem o que devem ingerir e ocorrendo um abuso por parte de alguns veículos de comunicação, fabricantes de produtos mega industrializados que rotulam os alimentos como se fossem saudáveis e tem mais, parece que não existe mais brócolis, cenoura, arroz, feijão…eles estão fora de classificação, hoje é assim: ou o alimento é bom ou é ruim…não existe mais o simples alimento que nos fornece seus conhecidos nutrientes, como as vitaminas, sais minerais e energia e por este motivo, devemos variar para termos outras fontes de nutrientes. Hoje é o brócolis milagroso que cura o câncer, o arroz que tem uma substância recém descoberta que prolonga a vida em “x” anos…perdemos o prazer em comer comida de verdade?
Então vamos partir de uma regra simples e sem modismos no exemplo de um almoço: uma porção de carne de preferência grelhada, assada; salada à vontade, folhosos, azeite de oliva, legumes e tubérculos, as brássicas (brócolis, couve-flor, etc), arroz integral que pode ser cozido uma vez com açafrão, outra sem, outra com páprica doce, variamos sabor e nutrientes; o nosso queridíssimo feijão preto, marrom, branco, variar mais uma vez…e as frutas, 5 tipos todos os dias…já não é tarefa fácil comer simples assim, imagina seguindo a moda! :) Coma comida de verdade!
Até a próxima!

Luciana de Oliveira Collares Machado é Nutricionista responsável pelas criações da Equilíbrio & Sabor Culinária Light e defende o conceito de alimentação saudável e prática, livre de tantos produtos industrializados.
É Pós-graduada em Nutrição Clínica e Dietoterapia e Especialista Alimentação Saudável.
Siga-a no Instagram: @nutriluoliveira